alegria, ser humano

Retirei-me em retiro

IMG_20171104_170250.jpg


Vivi uma experiência limpa.

Retirei-me para viver um retiro.

Retirei-me do bulício. Retirei-me dos dias.

Meti-me noutros dias. Esvaziei a pele suada de todos os dias.

Abeirei-me do silêncio. Vesti a estranheza.

Respirei sabedoria do outro mundo.

Percorri o som das folhas pelo chão.

De olhos fechados, com as mãos abertas e o corpo em movimento.

A mente reforçou a consciência. A consciência reforçou a mente.

A gratidão permaneceu na mansidão de acreditar que nada é permanente.

Sentidos em movimento. Meditação que me leva os pensamentos.

 

 

Anúncios
Standard
alegria, ser humano

Trilho do Tibete

Descobri que nos Arcos de Valdevez os percursos pedestres são chamados de pequenos trilhos do Tibete. Nada é por acaso. O lugar verde, os caminhos de tapete castanho, assim, como está na fotografia, chama à meditação – ao âmago Buda da tradição tibetana. À respiração funda. Ao caminho interior do conhecimento. Na frescura daquele caminhar veio-me à memória o Siddhartha  e as suas palavras mágicas: “Quem me dera olhar, sorrir, caminhar, manter-me sentado à sua maneira, com esse quê de liberdade, de dignidade, de discrição, de ingenuidade, de franqueza e de mistério! Realmente, assim só pode olhar e caminhar quem tiver penetrado no âmago de sua personalidade. Pois então, também eu me empenharei em penetrar no âmago de minha alma.”22519099_10159483996180187_3361153976657365916_n

Standard
alegria, mulher, ser humano

Dona Esperança

IMG_20171015_132055.jpg

Deve ser bom viver empoleirada na janela de casa. Lá em cima. De onde se vê e onde se passa facilmente despercebida. Gosto de imagens assim: uma mulher, velha, simpática, despachada, rugosa como a própria aldeia. Foi pouco tempo de diálogo, mas o suficiente para imaginar. Na rua da sua casa passam muitos caminheiros. Imaginará ela também as suas histórias?

Eu imagino-a viúva – a pista foi o preto da camisola. Rija e desconfiada – na aldeia é assim que se é. Solitária? À janela na hora do almoço a afirmar que agora ‘já só vai uma sopinha’, faz-me crer que sim. Certamente com a descendência lá fora a ganhar o pão de todos os dias e mais os dos que virão. Um ouvido na televisão e o outro no sino da igreja. Tem um nome invejável. Para ser lembrado todos os dias. Esperança – no hoje, no amanhã. Para os dias difíceis, turvos. Como estes dias de agora.

 

Standard
alegria, coisas de mulher, criança, gente do porto, livros, ser humano, solidariedade

EVERY GIRL

Every Girl é o nome de um futuro livro e também um movimento internacional que pretende abraçar todos – mulheres, homens, meninas e meninos. No Every Girl são contadas histórias da infância de mulheres de todos os países. Sim, isso mesmo, de todo o mundo!

A ideia é aconchegar culturas, aproximar histórias e partilhas de pessoas diferentes, mas iguais.

A ideia partiu de uma menina do mundo chamada Claire Read. Já conta com inúmeras ajudas e voluntários que acreditam que através de histórias contadas às crianças sobre as diferenças culturais de cada país, essas diversidades enraízam-se do modo mais positivo.

Aliado a esta ideia genial e bestial está um acto solidário: 25% dos lucros do Every Girl vão para a www.salamuk.org, uma associação de apoio a refugiados, que dá voz à fragilidade das crianças e se preocupa com o empoderamento feminino.

Vamos ajudar? Visitem: https://www.iameverygirl.org/about

E CONTRIBUAM!

16143485_318067788594119_4163685920928863341_o.png

Standard
alegria, ser humano, solidariedade

Da solidariedade

Há quase duas semanas o impensável aconteceu. Em 2017 pessoas morreram carbonizadas numa estrada nacional num país desenvolvido. O coração minga perante estas tragédias, fica pequeno de triste, molhado de tantas lágrimas. É inevitável pensar na vida – num momento estamos cá a aproveitar a família, os amigos, o trabalho, as férias, a saúde – e no momento seguinte, perdemos tudo. Perguntas assolam a mente: o que sentir, o que pensar, vasculhamos o sentido da Fé. Penso que a melhor homenagem que podemos fazer aqueles que partiram é elogiar a vida, prosseguir o caminho com esperança e perseverança. Sobretudo com amor. Portugal tem gente que sabe erguer. Tem gente que sabe dar a mão. Perante o drama soubemos dar voz à corrente da solidariedade ao ligar inúmeras vezes o 760 e/ou comprar bilhete para um concerto que reuniu centenas de profissionais em nome da palavra Ajuda. Agora é preciso manter a força no coração e manter a solidariedade. A solidariedade é para todos os dias. O amor também. Assim, fazemos um mundo melhor. Assim, vivemos.

amor_solidariedade

Standard
alegria, cusquice, jornais, livros, ser humano

Gosto muito da cusquice dos olhos no livro, jornal, telemóvel ou computador do vizinho do lado.

É inevitável. Sentámo-nos e se o vizinho do lado estiver agarrado a qualquer um daqueles objetos, os nosso olhos ganham personalidade coscuvilheira. Curiosidade, interesse, cusquice? Não sei. Se enfiámos as mãos no colo, se o lado da janela está ocupado, para onde se dirigem os olhos? Para aquela página do jornal que contornamos até poder ler o título todo, numa espécie de coreografia que ganha velocidade à medida que a pessoa na posse do jornal se apercebe, e faz de tudo para nos dificultar a tarefa.

E nós versus eles, enterramos ainda mais os olhos, ao desafio, e neste ponto, de um zás brusco, pumbas, o vizinho muda a página, a mostrar mau génio. Pior: fecha-o, guarda-o. Como quem diz: este jornal é todo meu, se quiseres compra o teu.

Se enfiámos as mãos no colo, se o lado da janela está ocupado, para onde se dirigem os olhos? Para aquela página do jornal que contornamos até poder ler o título todo, numa espécie de coreografia que ganha velocidade à medida que a pessoa na posse do jornal se apercebe, e faz de tudo para nos dificultar a tarefa.

A cusquice dos olhos no jornal do vizinho

Citação
alegria, gente do porto, ser humano

Da alegria

Se queres ser alegre, faz uma viagem de metro. A senhora do lado muito espevitada, sorri de uma orelha á outra. Tem uma amiga que condiz com a alegria dela. É impossível dormir na primeira hora do dia, no aconchego do banco no metro.

o que é preciso é alegria e força no pau

O quê? Parou tudo!
Acordámos todos, assim, em sobressalto. Aquilo não foi uma frase, foi um comprimido esctasy no ouvido. Pow. Logo de manhã, quando ainda estamos como os gatos a lamber os olhos. Espero encontrá-las novamente. Porque gente boa sorri. E faz sorrir.

 

alegria
Standard